Postagem em destaque

Por que não devo receber a Eucaristia?

Imagem retirada da Internet Primeiramente é preciso entender que no Evangelho de Mateus 19:3-9 -... Alguns fariseus aproximaram-se de...

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Material usado para o encontro de formação de agentes da Pastoral Familiar

https://www.dropbox.com/s/vx7qp2qtmmnfupt/Apresenta%C3%A7%C3%A3o1.pptx

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Encontro de formação para um agentes da Pastoral Familiar - dia 09 de novembro... obrigada a todos que compareceram


quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A Pastoral Familiar da Arquidiocese de Vitória tem a honra de receber o Dr. Pe. Wladimir Porreca

Durante os dias 26 a 29 de setembro, a arquidiocese de Vitória recebe o assessor da Comissão para Vida e Família da CNBB, padre Wladimir Porreca para falar sobre famílias. A visita é voltada para o clero, coordenadores da Pastoral Familiar paroquial, e também para algumas famílias. Veja a programação:
26 de setembro
Encontro com  o clero, em Ponta Formosa, de 8h às 12h. Tema: Família e seus desafios;
28 de setembro
Encontro com os coordenadores da Pastoral Familiar paroquial, em Ponta Formosa de 8h às 12h. Tema: Ações pastorais na paróquia - direcionamentos e desafios;
Encontro de formação para as comissões da Pastoral Familiar do sub-regional Leste II, em Ponta Formosa, de 14h às 18h. Tema: Segunda união e apresentação dos trabalhos das dioceses;
29 de setembro
Encontro com as família, de 7h às 12h, no Colégio Marista. Tema: Família e os desafios pastorais. Para participar é preciso se inscrever, pelos telefones: 9272-1330/3031-6713.


quinta-feira, 4 de abril de 2013

A IGREJA E OS CASAIS EM SEGUNDA UNIÃO


Queridos casais em segunda união. A Igreja se alegra em recebê-los para estes momentos de reflexão, porém festa maior está no acontecendo no céu. “Assim, digo-vos, há alegria na presença dos anjos de Deus por um só pecador que se arrepende” (Lc 15,10).

Toda Igreja baseada na palavra de Jesus Cristo acolhe a cada um e os exorta a exercer os seus direitos e deveres de cristãos. Como batizados e como filhos dessa mãe que quer amar e educar seus filhos para que se sintam parte de toda Igreja.

Na nossa vida somos chamados a refletir sobre as escolhas que fazemos, e mesmo que elas sejam inevitáveis, elas nos leva a quebrar algumas promessas que precisamos admitir que somos responsáveis e dar um testemunho verdadeiro para que possamos ser coerentes com os ensinamentos de Jesus Cristo. A misericórdia do Pai é para todos que se arrependem, portanto, não há o que temer e muito menos o que reclamar.

O momento é de acreditar que temos o direito e lutar e aproveitar os meios de salvação que temos. Isso mesmo, diante de nós está a comunhão da palavra. A oração. A penitência. A caridade. O perdão. O serviço. A comunhão espiritual e muitos outros caminhos que só vamos encontrar descruzando o braço, enxugando as lágrimas e seguindo os passos do nosso Mestre Maior: Jesus Cristo.

“Exorto vivamente os pastores e a inteira comunidade dos fiéis a ajudar os divorciados, procurando, com caridade solícita, que eles não se considerem separados da igreja, devendo, enquanto batizados, participar da sua vida. Sejam exortados a ouvir a palavra de deus, a freqüentar o sacrifício da missa, a perseverar na oração, a incrementar as obras de caridade e as iniciativas da comunidade em favor da justiça, a educar os filhos na fé cristã, a cultivar o espírito e as obras de caridade para assim implorarem, dia a dia, a graça de Deus. Reze por eles a igreja, encoraje-os, mostre-se mãe misericordiosa e sustento-os na fé e na esperança”.(Exortação apostólica “Familiaris Consortio” nº 84).

quarta-feira, 27 de março de 2013

Culpa

Hoje gostaria de falar sobre a Culpa, que culpa é essa que atinge os casais em segunda união dilacerando o coração com uma dor imensa, moldando todas as suas ações de sofrimento, exclusão e afastamento? Em alguns casos, chega ir ao desespero, e vemos que isso vai arrastando, e doendo, doendo, doendo!
Algumas considerações precisam ser feitas, que dor é essa, onde nasce e porque nasce?
Culpa só existe quando premeditamos algo, ninguém casou-se pra separar, para machucar alguém ou para sofrer, então porque tanta culpa, se o que realmente temos nessa condição que estamos é a de sermos responsáveis pelas nossas escolhas e pelas consequências que as mesmas geram. ser  RESPONSÁVEL é a palavra e não CULPADOS. precisamos aprender a sermos responsáveis ao invés de culpados. não foi de propósito e ninguém tem o direito de julgar os motivos que levaram cada um a fazer uma escolha um dia, na sua vida, mas cabe a cada um entender que quando fazemos uma escolha, por mais motivos que tenhamos para isso, chegou a hora de sermos responsáveis por essas escolhas e assumirmos as consequências. Toda mãe que educa, coloca limites e a Igreja que é mãe, acolhe, mas também educa! quando entendermos isso, vai ficar mais fácil entender, que não estamos sendo excluídos de nada, mas sim instruídos a obedecer aos limites que a Igreja nos coloca, até mesmo para que sejamos um bom exemplo para outros casais. Somos chamados a testemunhar que Matrimônio é coisa séria. Porém ninguém é culpado, ninguém está sendo condenado, mas educado para o amor verdadeiro, a Igreja se compadece e acolhe com amor a todos, mas temos que ter consciência do nosso pecado e assumir a grande tarefa de pertencer a Igreja com o serviço que podemos oferecer e manter essa comunhão com Deus e nosso irmãos, mesmo que não seja em espécie, mas que seja verdadeira nas minhas ações e posturas diante de Deus e do próximo! A Culpa não cabe aqui, ninguém desejou nada disso, pensem com carinho nisso!
video
Angela Del Rey

quinta-feira, 21 de março de 2013

QUÃO PRECIOSA SEJA A COMUNHÃO ESPIRITUAL

JESUS DISSE A SANTA CATARINA DE SENA EM UMA VISÃO. 
A SANTA TEMIA QUE A COMUNHÃO ESPIRITUAL NÃO TIVESSE NENHUM VALOR, SE COMPARADA COM A COMUNHÃO SACRAMENTAL. JESUS LHE APARECEU EM VISÃO, COM DOIS CÁLICES NA MÃO, E LHE DISSE: 
“NESTE CÁLICE DE OURO PONHO A TUAS COMUNHÕES SACRAMENTAIS; E NESTE DE PRATA PONHO AS TUAS COMUNHÕES ESPIRITUAIS. ESTES DOIS CÁLICES ME SÃO MUITO AGRADÁVEIS”.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Encontro Bom Pastor em Itarana- ES

Estivemos no último final de semana na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, na cidade de Itarana - ES
para participar e assessorar o encontro para casais em segunda união - Bom Pastor!

Que experiência fantástica, obrigada pelo carinho, pela dedicação de vocês e um abraço a cada casal encontrista! Ficará para sempre em nós a acolhida e a transformação que todos nós tivemos após essa experiencia tão real de comunhão com Cristo!

domingo, 3 de março de 2013

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

INTERIORIZANDO....

Duvidas assombram um coração angustiado, mas a fé chega como sossego. Em busca da Paz o encontro com você mesmo é necessário, portanto, quanto mais se busca culpados, mas forte é a distância daquilo que realmente importa... Para um casal em segunda união é muito importante entender que a culpa não existe. Precisa-se assumir responsabilidades e caminhar para a felicidade! A misericórdia de Deus tem uma dimensão que desconhecemos, Seu Amor por nós é muito maior que a nossa capacidade de compreender, contudo, nos resta acreditar! Acreditar que somos filhos de Deus e buscar através do Serviço, da Fé e da Caridade o nosso reencontro com nossa espiritualidade! vamos buscar força na chance que estamos tendo de reconstruir com mais sabedoria um novo lar. Não cabe a nós julgar e condenar, temos que aprender a acolher a nós mesmos para depois buscar a acolhida de outras pessoas!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

RESPOSTAS OU PERGUNTAS?

Estou com saudades... sei que estava em silêncio há algum tempo... mas sempre atenta aos pedidos que chegam a mim. Hoje quero falar um pouco sobre respostas... sei que todos que chegam a visualizar este blog estão a procura de soluções, mas, infelizmente não as possuo. Tenho a certeza de que a melhor de todas as respostas está dentro de cada um. Posso oferecer materiais e a minha experiência como ajuda, mas respostas não consigo! Até porque não acredito em receitas prontas, mas, sim, no potencial de cada um de se encontrar. Ao invés de buscar tantas soluções, por que não começamos a perguntar onde é que estou nisso tudo e como estou? Estou disposto(a) a abraçar a missão de Jesus e enfrentar qualquer tipo de preconceito? Sou capaz de buscar mais conhecimento sem condenar antes de conhecer? Tenho forças para abraçar esta causa e levar conhecimento aos meus irmãos que sofrem? Sou capaz de voltar para o Pai como servo e não como um portador de todos os direitos? Por que colocamos as indagações em terceiros? Se quem pode te responder é você mesmo!